domingo, 11 de outubro de 2009

Era para rir? – “Os Normais 2”

Um dos filmes mais assistidos do cinema nacional: “Os Normais 2”, já superou 370 mil espectadores desde agosto deste ano. Parece que a Globo Filmes descobriu como alcançar um grande público frequentador dos cinemas brasileiros que é apaixonado por comédias com um jeitinho de televisão.
“Os Normais 2” assim como a continuação de “Se eu fosse você”, tem arrancado gargalhadas dos brasileiros. Tanto um quanto outro vem carregado de piadas prontas, clichês e falta de criatividade.
O filme estrelado pelo conhecido casal Rui e Vani (Luis Fernando Guimarães e Fernanda Torres) não alcança a mesma qualidade do seriado que passou mais de dois anos na televisão aberta, sem contar as reprises nos canais pagos.
Para quem é fã da série o filme até encanta, por podermos rever o casal, mas não passa disso. O filme começa com os dois personagens dizendo que para fazer uma comédia não precisam falar palavrão, então eles leem uma lista enorme de palavrões e afirmam que os espectadores não vão ouvir nada disso neste filme.
Claro que os que já conhecem os personagens sabem que aquilo é mentira, afinal, o programa sempre foi regado a palavrões. No entanto, a brincadeira acaba funcionando como uma crítica ao próprio filme, que ultrapassa o bom senso no uso das palavras.
A trama toda acontece em um só noite, em que os dois após 13 anos de noivado percebem que o relacionamento caiu na rotina, para renovar Vani resolve aceitar os insistentes convites de Rui para fazer um “ménage-a-trois”. O casal então busca por uma mulher que tope o programa, a primeira delas é a prima Silvinha (Drica Moraes), que aceita o convite,o relacionamento que aparentemente vai dar certo acaba no hospital. Já neste momento, em que estamos ainda nos primeiros vinte minutos de filme fica clara a proposta do diretor José Alvarenga Júnior (“Divã”): um humor que mistura “pastelão” com humor negro, com personagens se machucando e velhinhas caindo pela janela.
Como não deu certo com Silvinha, Rui e Vani continuam a busca que passa por Danielle Winits, Cláudia Raia, Daniele Suzuki e Aline Moraes. A noite parece não ter fim, já que os dois passam por todo tipo de situação, de ficarem trancados no banheiro a serem roubados.
Os roteiristas Alexandre Machado e Fernanda Young buscando desesperadamente fazer rir exageram nas situações, acontece tanta coisa e tanta situação sem graça que você sempre fica com a esperança que nos próximos minutos algo mais engraçado aconteça, mas não acontece, já que todo o humor é construído em cima de sexo e palavrão.
Vale mais continuar assistindo as reprises da série que perder tempo com esse filme.

6 comentários:

sandra disse...

nuuussa que crítica áspera...

Wagner Nicolau disse...

rsrs eu quase entrei no cinema essa semana pra ver esse filme rsrsrs

Não sei se já assistiu, mas recomendo um que se chama Revolver. É um bom filme!

Com o mesmo diretor de Snatch - Porcos e Diamantes, outro ótimo filme.

Victor Faria disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Victor Faria disse...

Leê! que saudades...
Seu blog está muito bem escrito e as críticas bem fundamentadas.
Eu assisti só o primeiro filme e acho que ele cumpriu bem o papel de trazer de volta o casal ao público, principalmente aos órfãos dos tempos áureos da série. O filme, pelomenos o primeiro, deixa muito a desejar em relação ao programa de tv. Mas não acho que seja inaproveitável. Acho que escancarar palavrões derruba um pouco o que restou da muralha que é a moral e os bons costumes que a Igreja Católica e cia pregaram, principalmente a partir de 64.

É isso aí, beijão e sucesso!

Geso Jr disse...

Olha só, Lele!

Gostei mesmo do seu blog.

Muito boa a sua crítica, parabéns. Concordo, ver a série é melhor!! Beijo

Cozinha disse...

AHHH..ruim mesmo.

o pior de tudo é ver a velhinha apanhando na festa..e o carinha esperando o dedo do doutor!uff. ridículo.

Você tem razão Lele. Melhor ver os episódios repetidos pelo youtube do que ver esse filme. UGRRHRH!!!!