terça-feira, 16 de março de 2010

Luiz Tatit, o mestre do canto falado

Capitu
A ressaca dos mares
A sereia do sul
Captando os olhares
Nosso totem tabu
A mulher em milhares
Capitu

(“Capitu” - Luiz Tatit)


É assim reunindo poesia, música e literatura que Luiz Tatit encanta ouvidos e almas. O músico, reconhecido também por suas pesquisas acadêmicas acaba de lançar a obra “Semiótica à Luz de Guimarães Rosa” (Ateliê Editorial), em que revê conceitos essenciais da semiótica a partir de contos que compõem o livro “Primeiras Histórias” e está trabalhando no lançamento oficial do Cd “Sem Destino” produzido junto com a amiga inseparável, Ná Ozzetti.
A música adentrou a vida de Tatit graças ao seu avô que o presenteou com um rádio de pilha quando ele tinha 10 anos e um violão aos 12. Da infância até hoje a música tem sido sua companheira, nas composições, gravações e na produção de livros e ensaios sobre a poesia e a música brasileira, muitos deles publicados em espanhol, francês e inglês.
Tatit busca conciliar a vida acadêmica com a de músico, atuando como professor no Departamento de Lingüística da USP (Universidade de São Paulo), a união entre as duas atividades fazem parte de sua história. “Quando resolvi tomar a canção como objeto de estudo nas pesquisas que resultaram em dissertação de mestrado e tese de doutorado nos anos 80, pode-se dizer que minhas duas atividades [música e vida acadêmica] começaram a se conciliar, passei a lidar com música paralelamente a meus compromissos acadêmicos. A pesquisa e a prática de composição são fundamentais para a minha vida”, salienta.
Se você tem filhos pequenos, já ouviu alguma das composições de Tatit na voz da dupla “Palavra Cantada”, formada pelo seu irmão Paulo Tatit e pela cantora Sandra Peres. “Fiz dezenas de letras para a dupla e, até hoje, volta e meia, eles me mandam melodias para letrar. É sempre assim, eles têm uma melodia, já arranjada, e eu componho a letra, às vezes com tema predeterminado, às vezes com tema livre”, explica.
Suas composições que já ultrapassam 40 foram gravadas por muitos nomes da música brasileira como Leila Pinheiro, Zélia Duncan, Ney Matogrosso e José Miguel Wisnik. Com Wisnik, Tatit tem uma composição muito interessante, chamada “Mestres cantores”, que fala da experiência dos dois que reúnem a vida acadêmica ao universo musical.
Tatit foi também um dos criadores do grupo Rumo da década de 70, que tem como um de seus objetivos resgatar as entonações da fala cotidiana nas composições, característica que é marcante na obra do músico.
Para conhecer a obra musical de Tatit, escute o CD “Rodopio”, que tem muitas participações especiais como a voz de Ceumar e de Suzana Salles. A produção traz uma mistura perfeita entre a inocência das letras e a maturidade das composições.

Um comentário:

Cecilpaiva disse...

valeu flor..